Fechar

Política

Maringá

A pedido do prefeito, Biatto explicará declaração na Câmara

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 13:09 - 22 de maio de 2020

Bloco de Imagem

Secretário de Saúde de Maringá, Jair Biatto | Foto: CMM

A pedido do prefeito Ulisses Maia, o Secretário de Saúde de Maringá, Jair Biatto, voltará à Câmara de Vereadores para explicar a declaração concedida na última quinta-feira, 21.


Em sabatina aos vereadores, para explicar as ações de combate ao coronavírus feitas pelo município, Biatto afirmou que o setor público paga até três vezes mais do que a iniciativa privada pelo mesmo produto. A repercussão da fala foi negativa e a Prefeitura garante que trabalha com transparência de gastos.



"Ele retornará à Câmara para explicar aos vereadores essa fala que foi retirada do contexto. A Prefeitura nunca comprou produtos acima do valor de mercado e todas as compras são transparentes, exigindo, no mínimo, três orçamentos", declarou o prefeito, Ulisses Maia.



Maia explica que, no setor de saúde, o preço de alguns itens fica elevado por conta da 'exclusividade' de alguns fornecedores.



"É uma situação que acontece em todo o Brasil. Alguns laboratórios fazem contratos exclusivos com algumas cidades, provocando um preço mais elevado que o normal, o que não quer dizer que a Prefeitura pagou mais caro. O preço de mercado da saúde ocila muito", afirmou.



O Observatório Social de Maringá repudiou a fala do Secretário, afirmando que isso não é normal e revela desconhecimento da gestão de recursos públicos.


Ouça a reportagem completa na CBN Maringá.


Precisa sair de casa? Use Máscara. Clique aqui e saiba por que ela é importante.


Quer receber nossas principais notícias por Whatsapp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo! Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo