Fechar

Policial

Petrolato

Em operação nacional, MP cumpre mandado de busca em Maringá

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 08:59 - 06 de Dezembro de 2019

Uma operação nacional do Ministério Público cumpre mandado de busca em Maringá na manhã desta sexta-feira, 6. A Operação Petrolato, coordenada pelo Ministério Público do Paraná, cumpre mandados judiciais em dez estados do país.


No Paraná, são cumpridos sete mandados de busca e apreensão em Curitiba, São José dos Pinhais, Maringá e Cascavel.


A operação apura ilegalidades no setor de logística reversa e óleo lubrificante usado e contaminado. O óleo lubrificante usado e contaminado é um componente químico classificado como resíduo perigoso pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT – Norma Brasileira 10004). Trata-se de produto muito poluente – apenas um litro é capaz de contaminar um milhão de litros de água – e nocivo ao meio ambiente e à saúde humana (a queima do resíduo causa câncer e outras doenças).


Por isso, o reaproveitamento desse composto deve observar critérios técnicos específicos, sendo toda logística, da coleta ao refino, realizada apenas por empresas habilitadas pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) e licenciadas pelo órgão público ambiental competente.


Parte desse material, porém, acaba sendo coletada, transportada, armazenada e destinada por empresas clandestinas, alvos principais da operação. O Ministério Público apura a prática de crimes ambientais (poluição, armazenamento/coleta/transporte/descarte de resíduo perigoso, funcionamento de serviço poluidor sem licença).


Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Paraná


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo