Fechar

Policial

Em Maringá

Com apoio de grupo antibomba, PM faz treinamento inédito

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 11:20 - 11 de February de 2020

Veículo em chamas, ônibus travando avenida e policiais armados. E tudo durante a madrugada. Bem, poderia, mas não era real. Policiais militares de Maringá, juntamente com o esquadrão antibombas de Curitiba, realizaram uma simulação inédita na cidade. Era um treino contra crimes financeiros, encenado em uma agência da Caixa Econômica Federal entre as avenidas Morangueira e Alexandre Rasgulaeff. Foi na madrugada desta segunda-feira (10).

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Bloco de Imagem

Foto: divulgação/Polícia Militar

Bloco de Imagem

Foto: divulgação/Polícia Militar

O primeiro-tenente Vinícius Rodrigues, comandante da equipe Choque do 4º Batalhão, disse que tem ocorrido treinamentos frequentemente em Maringá. É para atualizar a PM.


"O 4º Batalhão está sempre prezando pela instrução e especialização do seu efetivo e um dos temas que estão sendo abordados no momento, principalmente com as equipes de grupo tático, são as ações de marginais contra estabelecimentos financeiros. A próxima etapa vai ser contra veículos de transporte de valor, os carros-fortes. Nesse momento, nós tivemos várias instruções internas, no quartel, tivemos uma instrução também com um delegado da Polícia Federal e, para fechar esse tema, nós organizamos um simulado", explicou. 


O esquadrão antibomba foi convidado para apresentar explosivos e instruir como deve ocorrer uma ação em um local com objeto que pode ser perigoso. "Eles passaram comportamentos que devem ser adotados pelos policiais se eles se depararem com uma ocorrência onde tenha a presença do explosivo. Seja um objeto suspeito que foi abandonado em algum local, seja no atendimento após a explosão, por exemplo, de um caixa eletrônico onde o policial vai perceber, agora que conhece, a presença de algum material explosivo e qual o procedimento do policial aqui em Maringá quando ele se deparar com esse tipo de material", detalhou. 

Bloco de Imagem

Foto: divulgação/Polícia Militar

Bloco de Imagem

Foto: divulgação/Polícia Militar

A central de operações da Polícia Militar em Maringá recebeu diversas ligações de pessoas que imaginavam estar havendo um crime.


A Tassiara Murayama disse ter levado um susto. Ela, que mora na região, falou que marido acionou o Corpo de Bombeiros para apagar o fogo de um carro.


"Eu fiquei assustada porque a gente acordou antes do carro pegar fogo. A gente ouviu os barulhos e, quando olhamos, a gente viu o carro começar a pegar fogo e eu fiquei desesperada", relembrou. 


Outras simulações devem ocorrer neste ano.



Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo