Fechar

Maringá

Trabalho

92 aprovados no concurso da Prefeitura de Maringá não se apresentaram

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 08:30 - 11 de February de 2020

Quase 400 pessoas foram convocadas para trabalhar na Prefeitura de Maringá. Mas nem todos se apresentaram ou foram efetivados porque 92 pessoas não se apresentaram. O dado é relativo ao mês de dezembro de 2019 e janeiro deste ano. Os chamados fizeram concurso em 2017. Por mês, Executivo municipal calcular saída de pelo menos 70 pessoas. E por isso, a convocação é feita.


Segundo dados da Secretaria de Recursos Humanos, 372 pessoas foram convocadas para trabalhar na Prefeitura de Maringá recentemente. São em funções como professor, educador infantil e agente ambiental. O número leva em conta convocações feitas entre 15 de dezembro de 2019 e 19 de janeiro de 2020.


Dos 372 chamados, 92 não se apresentaram. Ou seja: 280 de fato foram se regularizar no Paço Municipal. São aprovados no concurso de 2017, em áreas como saúde e educação.


Dados da Prefeitura estimam que entre 70 e 100 pessoas deixem o serviço público municipal mensalmente. São por três motivos: ou exoneração ou aposentadoria ou morte. O que faz o serviço público girar o número de pessoal constantemente.


Segundo o secretário de Recursos Humanos, César França, o grande problema não é chamar, e sim o tempo de convocação e contratação.


A Prefeitura de Maringá tem 13 mil servidores atualmente. O concurso mais recente, realizado em 2019, está em fase homologação.


Ouça a reportagem na CBN Maringá.



Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Bloco de Imagem

Foto: Cleber França/GMC Online

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo