Fechar

Maringá

Crise

Pedidos de seguro-desemprego sobem 93,5% em Maringá

Publicado por Lethícia Conegero, 14:52 - 23 de maio de 2020

Bloco de Imagem

Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

No período de um mês - da segunda quinzena de abril até a primeira quinzena de maio deste ano -, foram registrados 3.989 pedidos de seguro-desemprego em Maringá, segundo levantamento da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia. O número é 93,5% maior que o valor registrado no mesmo período de 2019, quando foram feitas 2.061 solicitações.


Em 2019, apenas 2,3% dos pedidos foram feitos pela internet neste período. Os outros 97,7% foram por atendimento presencial. Já em 2020, devido à pandemia da Covid-19, 76,4% das solicitações foram feitas por plataforma digital e 23,6% presencialmente.


Só na segunda quinzena de abril de 2020, o município registrou 2.006 pedidos de seguro-desemprego. No mesmo período de 2019, foram 1.073. Ou seja, houve um aumento de 86,9% neste ano.


Já na primeira quinzena de maio de 2020, foram registrados 1.983 pedidos de seguro-desemprego em Maringá. O número mais que dobrou em comparação com o mesmo período de 2019, quando o município registrou 988 pedidos do benefício.


O aumento expressivo no número de pedidos de seguro-desemprego reflete os efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia.


Em Maringá, o decreto municipal nº 445/2020 declarou situação de emergência em saúde pública e impôs medidas restritivas com relação ao funcionamento de estabelecimentos comerciais considerados não essenciais, com o objetivo reduzir a circulação de pessoas na cidade. O documento foi publicado no dia 18 de março e entrou em vigor no dia 20 do mesmo mês.


Os setores da indústria e construção civil, por exemplo, ficaram com as atividades suspensas até o dia 12 de abril. Já o comércio de rua ficou de portas fechadas durante um mês, e retomou as atividades no dia 20 de abril. As lojas dos shoppings de Maringá ficaram fechadas até 7 de maio, dentre outras atividades que foram suspensas na cidade.


Paraná


No Paraná, o aumento no número de pedidos de seguro-desemprego foi de 71,4% na primeira quinzena de maio deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2019, foram feitas 18.874 solicitações, das quais 3,8% ocorreram por meio de plataforma digital. Em 2020, foram 32.352 pedidos, sendo 56,3% realizados pela internet..


Os homens representaram 57,07% dos requerentes da primeira quinzena de maio de 2020 no Estado, enquanto as mulheres 42,93%.


A faixa etária com maior número de solicitantes no Paraná está entre 30 e 39 anos, representando 29,1% do total. Na sequência, está a faixa etária entre 40 e 49 anos, com 20,5%, e o grupo de 18 a 24 anos, com 19,1%.


Quanto à escolaridade dos trabalhadores que solicitaram o seguro-desemprego, mais da metade (58,8%) têm ensino médio completo.


Em relação aos setores econômicos, serviços representou 38,41% dos requerimentos de seguro-desemprego, seguido por comércio, com 26,81% e indústria, que correspondeu a 24,06% do total de pedidos do benefício no Paraná.


Brasil


No Brasil, os pedidos de seguro-desemprego aumentaram 76,2% na primeira quinzena de maio de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019. Foram registradas 504.313 solicitações neste ano contra 286.272 no ano passado. Nesse período, 77,5% dos pedidos foram feitos via internet.


Na primeira quinzena de maio, o Estado com o maior número de pedidos de seguro-desemprego foi São Paulo, com 149.289 requerimentos, seguido por Minas Gerais, com 53.105, e Rio de Janeiro, com 42.693 solicitações do benefício.


Foram aproximadamente 2,84 milhões de pedidos de janeiro até a primeira quinzena de maio no Brasil, o que representa um aumento de 9,6% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas cerca de 2,59 milhões solicitações.


 



Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.



 

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo