Fechar

Maringá

Etanol

Operação lacra bomba com vazão irregular em posto de Maringá

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 13:08 - 19 de Agosto de 2019

Uma bomba de combustíveis com vazão irregular em um posto de Maringá foi lacrada na manhã desta segunda-feira (19), durante operação realizada pelo Procon, Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) e Receita Estadual.


A operação teve início nesta segunda e os agentes vão percorrer vários postos de combustíveis por tempo indeterminado.


O objetivo é verificar a qualidade dos combustíveis. Em um dos postos fiscalizados, a bomba de etanol estava com uma vazão abaixo do regular e foi lacrada pelo fiscais.


"Esta operação tem por finalidade vasculhar novamente a qualidade dos combustíveis dos postos assim como também a litragem e a vasão dos postos. Serão visitados de três a quatro postos por dia e não temos ainda um prazo definido para terminar a operação. A ideai é que a operação passe por pelo menos 40 postos durante o período", diz o diretor do Procon, Geison Ferdinandi.


Ouça a reportagem na CBN Maringá.


O nome do posto não foi revelado. Mas, a cada litro de etanol o consumidor perdia cerca de 9 mll -  a tolerância na diferença da vazão é de apenas 3 ml.


 


A fiscalização inicial, em quatro estabelecimentos, se concentrará também na inspeção da qualidade. Exame das misturas dos combustíveis fica por conta do Laboratório de Análises de Combustíveis da UEM (LAC). Resultados serão divulgados dentro dos próximos dias.


Operação também notificou loja de conveniência que comercializava produtos com valores diferentes para bandeiras de cartões de crédito. Próximas ações reunirão ainda Receita Estadual que atuará na fiscalização da transmissão de dados e combate à sonegação.


Reportagem atualizada às 17h19 para acréscimo de informações.

Bloco de Imagem

Foto: Ilustrativa/Pixabay

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo