Fechar

Maringá

Maringá

Lixeiras transbordam de lixo na área central e população reclama

Publicado por Carina Bernardino/CBN Maringá, 14:36 - 25 de janeiro de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Diniz Neto/CBN Maringá

A coluna "O Assunto é Política", do comentarista Diniz Neto para a rádio CBN Maringá, discutiu há alguns dias a falta de lixeiras em Maringá e a quantidade pequena para atender a demanda da área central. Foto disponibilizada no site da CBN mostra uma lixeira localizada na Avenida Duque de Caxias transbordando de lixo. Vimos que a situação não é pontual. Na Avenida Getúlio Vargas acontece a mesma coisa. Várias lixeiras ficam cheias e o lixo cai nas calçadas. A situação incomoda o engraxate José Xavier, conhecido como Baiano, que trabalha em um dos trechos da avenida. Ele pede que a prefeitura aumente a quantidade de lixeiras ou que coloque lixeiras maiores no centro.


A vendedora Vanessa da Silva Vicente tem a mesma reivindicação. Uma lixeira localizada quase em frente à loja que ela trabalha vive lotada de resíduos. E a quantidade só não é maior por causa de outro estabelecimento, que recolhe algumas vezes por dia.


Há algum tempo a Secretaria de Serviços Públicos (Semusp) de Maringá estuda a mudança do modelo de lixeiras na área central, mas ainda não conseguiu definir qual seria a melhor. O secretário da pasta, Vagner Oliveira, diz que assim que a escolha for feita, uma licitação será lançada, mas que ainda não há data prevista para isto.


A terceirização que o secretário fala na entrevista é de parte dos serviços de limpeza pública. A ideia é que a empresa vencedora faça a limpeza de oito regiões de Maringá, na área que vai da zona 1 até a zona 8. A licitação é de R$ 9,3 milhões. Com isto, o secretário acredita que as lixeiras serão limpas com mais frequência evitando o acúmulo de lixo ao longo do dia. Hoje, a limpeza é feita somente no período da noite.



Ouça a reportagem


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo