Fechar

Maringá

Covid-19

Esposa fala sobre o estado de saúde do ex-prefeito Silvio Barros

Publicado por Lethícia Conegero, 19:42 - 31 de março de 2020

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Facebook

O ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros, 63 anos, passa bem e terá alta da UTI nesta quarta-feira, 1º, segundo informações da esposa dele, Bernadete Barros, 54 anos. “Graças a Deus ele está estável, com exames sem nenhuma alteração, respirando sem aparelhos e vai receber alta amanhã”, vibrou.


Silvio testou positivo para o coronavírus, com exames confirmados no dia 27 de março. Ele estava em isolamento domiciliar mas teve uma piora nesta segunda-feira, 30, e precisou ser internado novamente. Ele está na UTI da Santa Casa.


Em entrevista ao GMC Online, Bernadete Barros contou como foi o processo de descoberta e tratamento do coronavírus. Leia:


Quando o Silvio relatou os primeiros sintomas de coronavírus?



O Silvio viaja muito. Ele esteve em Bauru (SP) no dia 9 de março, em Brasília (DF) no dia 11 e em São Paulo (SP) no dia 13, onde ficou por um período no aeroporto e em seguida retornou para Maringá. No dia 18 de março, ele foi de novo para São Paulo (SP) de ônibus porque iria para Sergipe, mas o voo foi cancelado. Ele foi às reuniões que precisava e retornou para Maringá no dia 19. Nesse dia, ele falou que estava com um pouquinho de tosse e já falei para ele usar máscara e passar álcool gel nas mãos. No dia 19 mesmo ele tinha uma reunião e foi usando máscara, mas quando voltou estava com febre e eu imediatamente levei ele ao médico.


Ele é do grupo de risco, porque é idoso, e viaja muito. Inclusive, eu acho que ele pegou no aeroporto de São Paulo, porque nenhuma das pessoas que estiveram nas reuniões com ele está com sintoma. No PA da Unimed, ele fez alguns exames e deu alteração. O médico disse que ele estava com suspeita e internou, fez a testagem de Covid-19 e ele foi liberado para isolamento domiciliar.



Como foi o isolamento dentro de casa?



Ele estava só com tosse, então continuou trabalhando em casa. Ele ficou no quarto de hóspedes e escritório e, se saísse de lá, para tomar um pouco de sol, a gente passava álcool em todos os lugares onde ele tocava. Eu e meu filho, de 21 anos, tivemos medo de pegar, mas ao mesmo tempo tendo cuidado com o Silvio.


Eu era a ‘senhora álcool em gel’ (risos). Eu e meu filho não tivemos nenhum sintoma, mas tomamos muito cuidado o tempo todo. Não ficamos próximo dele. Eu usava máscaras e luvas quando levava comida para ele.


O mais importante é permanecer em casa, lavar bem as mãos o tempo todo e não colocar a mão na boca, nariz e olhos. Eu estava aquela esposa chata, não só com higienização, mas com a alimentação dele.



Quando os sintomas pioraram?



No sábado [dia 27], aumentou a tosse e ele disse que doía para tossir. Levamos de novo no médico, ele fez tomografia e não deu alteração nenhuma. No domingo [dia 30] ele acordou super bem e disposto. Foi tomar banho de sol e um pouco depois me disse que não estava bem.


E ele é teimoso e não quis ir ao médico, esperou passar. Nesta segunda-feira, estava com uma aparência boa, mas estava só com suplemento porque não queria comer, dizia que não sentia o gosto da comida e estava com náusea, e a tarde ele disse que não estava conseguindo respirar.


Levei ele para o hospital, repetiram a tomografia e o médico achou melhor deixar ele internado, em observação. Mas ele está bem, está respirando espontaneamente, sem ajuda de aparelhos. Os exames de saturação, batimento cardíaco, estão normais. E ele não está com anemia, mesmo estando sem se alimentar direito. Temos esperança que, se Deus quiser, completando os 14 dias ele estará liberado.


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo