Fechar

Futebol

Paranaense

Pressionado e de técnico novo, Maringá recebe o Londrina em clássico

Publicado por Chrystian Iglecias, 14:40 - 20 de março de 2019

Bloco de Imagem

Sandro Forner conversa com os atletas em seu único treino antes do jogo contra o LEC. Foto: Rodrigo Araújo/Maringá FC

O Maringá FC está pressionado no Campeonato Paranaense. A equipe da Cidade Canção começou muito mal a segunda taça, perdendo os dois primeiros jogos. A goleada por 4 a 0 sofrida para o Athletico Paranaense, no último domingo (17), foi dolorosa. Tanto que logo após a partida, o clube estava anunciando a demissão do técnico Antônio Picoli. A diretoria, então, agiu rápido e, na segunda (18), anunciou Sandro Forner como novo comandante. 


Forner, que recentemente trabalhou como auxiliar de André Jardine, no São Paulo, chegou nesta terça (19) e foi apresentado à tarde, antes de dirigir seu primeiro e único treino antes da partida diante do Londrina, nesta quarta-feira (20), às 20h, no Willie Davids.


O novo técnico chega para pelos menos três jogos. Partidas estas que definirão o futuro da equipe no futebol estadual. O risco de uma queda para a Segunda Divisão é real, já que a diferença para o Rio Branco, primeiro time na zona do rebaixamento, é de apenas um ponto.


Momento dos dois times


Este é o cenário que o Maringá FC enfrentará na noite desta quarta: um clássico com pouquíssimo tempo de preparação e a obrigatoriedade da vitória para respirar no campeonato. O adversário, por si só, é complicado. O Londrina, apesar de campanha irregular, vem melhor no estadual.


O Tubarão ocupa e quinta posição na classificação geral com 12 pontos, e é o terceiro no Grupo A da Taça Dirceu Krüger, com 4 pontos. Enquanto o Maringá vem de duas derrotas, para Foz do Iguaçu e Athletico, o Alviceleste vem de um empate fora de casa, diante do Operário, e uma vitória em casa diante do Foz.


Fala, professor


Na entrevista coletiva de apresentação, ontem, no CT, Sandro Forner afirmou que não fará mudanças radicais na escalação do Maringá FC para o duelo por conta da falta de tempo para treinar.



"Um dos motivos para eu ter aceitado esse desafio foi a conversa que eu tive com o Paulinho (Regini, diretor), na qual ele se mostrou bastante consciente do que está fazendo. É uma tentativa de manter o clube na primeira divisão'', disse o novo técnico Tricolor.



Segundo o treinador maringaense, a vitória no clássico é essencial para a confiança dos jogadores, que está em baixa após os maus resultados no início da Taça Dirceu Krüger.



"Esses últimos resultados tiraram um pouco da confiança, perder um jogo de quatro em casa é complicado. Mas eles também já fizeram coisas boas no campeonato. É tentar aproveitar aquilo que o time vinha fazendo bem e corrigir hoje (ontem) algumas coisas para que possamos fazer um jogo melhor e conquistar um bom resultado'', completou.



Para o jogo desta quarta-feira, o Tricolor continuará sem poder contar com o lateral-direito Duda e com o volante Nem, lesionados. A boa notícia, porém, é a volta do atacante Everton, que estava suspenso na goleada sofrida para o Athletico. 


Uma possível escalação do Maringá FC para enfrentar o Londrina é: Victor Golas; Jean Neves, Alex Fraga, Marcelo Xavier e Júnior Prego; Gustavo, Willian Leandro e Rogerinho; Everton, Bravo e Orobó. Uma variação possível seria a improvisação de Everton na lateral-direita (como foi diante do Foz do Iguaçu), trazendo Jean Neves para o meio-campo no lugar de Willian Leandro ou Gustavo e abrindo uma vaga para Welton Paraguá no ataque. 

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo