Fechar

Futebol

Caso Neymar

Advogado abandona caso porque mulher mentiu sobre estupro

Publicado por Banda B , 08:22 - 04 de June de 2019

O Jornal Nacional, da TV Globo, teve acesso à carta de renúncia do advogado José Edgar Bueno, que abdicou da defesa da mulher que acusa Neymar de estupro, ao afirmar que sua ex-cliente mentiu ao relatar que foi violentada sexualmente. Na edição desta segunda-feira, o programa divulgou trechos do documento que desmente o boletim de ocorrência registrado pela mulher, dizendo que ele não corresponde ao que foi relatado pela denunciante durante encontro com os sócios do escritório de advocacia.


No texto, Bueno afirma que a jovem “sempre afirmou que a relação mantida com Neymar Jr. foi consensual, mas que durante o ato ele teria se tornado uma pessoa violenta, agredindo-a, sendo esse o fato típico central, pelo qual ele deveria ser responsabilizado cível e criminalmente”, escreveu. “Por raiva ou vingança, vossa senhoria relatou no boletim de ocorrência registrado em 31 de maio de 2019, fatos restritos em desacordo com a realidade manifestada” aos seus advogados, conta. Bueno afirma que ela teria sido vítima de agressões, e não de estupro. O crime teria acontecido em um hotel de Paris, no dia 15 de maio.


De acordo com o relato da vítima, que teve a identidade mantida em sigilo pela Polícia Civil, ela conheceu Neymar pelo Instagram e foi quando o convite aconteceu. “A vítima afirma que na mesma data, Neymar chegou por volta das 20:00 no hotel, aparentemente embriagado, começaram a conversar, trocaram “carícias”, porém em determinado momento, Neymar se tornou agressivo, e mediante violência, praticou relação sexual contra a vontade da vítima”, diz o relato. Continue lendo

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Instagram/Banda B

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo