Policial

Tentativa de homicídio

Suspeito de atirar em travesti se entrega à polícia

Publicado por Monique Manganaro, com informações de Luciana Peña , 11:38 - 12 de Junho de 2019

Se apresentou à Polícia Civil, no fim da manhã desta terça-feira (11), o homem suspeito de ter atirado contra uma travesti, durante o fim de semana, no centro de Maringá. O homem foi ouvido pelo delegado de homicídios Diego Freitas.


Segundo o delegado, o homem já havia sido identificado pela polícia, que conversava com o advogado dele para que o suspeito se apresentasse.


Em depoimento, ele disse que saiu de casa no sábado (8) para buscar um lanche. Ao passar no cruzamento das avenidas Herval e Brasil, a travesti teria entrado no carro dele, sem permissão.


Quando ele pediu para que saísse, ela teria começado a gritar. Ele portava uma arma e, para não chamar a atenção de policiais - com medo de descobrirem o revólver -, atendeu ao pedido da travesti de andar pela cidade.


“Até que em um determinado momento, a travesti pediu para ele parar o carro e exigiu um dinheiro, [que] ele se negou a dar. Então, a travesti teria pegado a chave do carro e ameaçado sair do veículo com ela na mão. Foi nesse momento que ele sacou a arma e efetuou um disparo na travesti”, explicou o delegado.


Depois de ser ouvido, o homem foi liberado e deve responder em liberdade, já que não houve flagrante.


A vítima, que ainda está no hospital, também será ouvida e deve identificar o suspeito. De acordo com Freitas, espera-se que ela diga, ainda, se alguém presenciou o fato. Isso porque, conforme a polícia, há informações de que outra travesti teria visto a vítima entrando no carro do suspeito.


Um inquérito policial foi instaurado para apurar a tentativa de homicídio. O homem também pode responder por porte ilegal de arma de fogo.

Bloco de Imagem

Foto: arquivo/GMC Online

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo