Fechar

Paraná

Nova Esperança

Vídeo de homem 'tomando banho' em posto é investigado pelo MP

Publicado por Nailena Faian, 17:30 - 30 de Julho de 2019

O Ministério Público, por meio da 1ª Promotoria de Nova Esperança, que tem atribuições nas áreas do Direito à Saúde e dos Direitos Humanos, instaurou procedimento para apurar um caso que teria ocorrido em um posto de combustíveis do município e que viralizou nas redes sociais.


O vídeo que está circulando mostra um homem de cueca, que seria morador de rua, tomando banho em um lava-rápido do posto de combustíveis. Conforme as imagens, um homem joga um produto no corpo dele e outro o esfrega com o mesmo objeto utilizado para lavar veículos.


O homem continua se esfregando sozinho com uma bucha e depois outro homem vestido com o uniforme do posto dispara um jato d’água para enxaguá-lo.


O caso gerou revolta e comoção nas redes sociais. "Que pecado, meus Deus, onde está o amor da humanidade, o amor ao próximo, quanta maldade", escreveu uma internauta. "Pura maldade, servindo de piada, tem risadas na gravação, tem muitas formas de ajudar, essa não é a certa, com certeza", escreveu outra.


De acordo com o Ministério Público, a Secretaria de Assistência Social (Sasc) de Nova Esperança foi oficiada para enviar informações sobre o caso. O MP quer saber se eles tem conhecimento do ocorrido; se foi tomada alguma providência em relação ao ocorrido; se tem conhecimento de informações do cidadão que aparece nas imagens, como dados pessoais, de sua família, aonde e com quem reside; se é pessoa que vive em situação de rua; se apresenta histórico de doenças psiquiátricas; dentre outras.


Além disso, o MP solicitou a apuração dos fatos para a delegacia.


A reportagem do portal GMC Online tenta contato com a Sasc.

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo