Fechar

Paraná

Mandaguari

Dirley captura e guarda cobras em casa: 'elas é que têm medo de mim'

Publicado por Letícia Tristão, 15:14 - 19 de Setembro de 2018


"Elas (cobras) me olham, meio assim, e sentem medo de mim.”



Nas últimas duas semanas, Dirley Bortolanza, mais conhecido como "Dirley das Cobras", capturou 30 cobras cascavel em residências e propriedades de Mandaguari (32 km de Maringá). Ele mantém os répteis dentro da própria casa e afirma que todas são venenosas.


Dirley mora na cidade e captura cobras desde criança. “Saio para caçar até de madrugada. As pessoas me ligam pedindo para eu pegá-las. Ou ligam para os bombeiros e aí eles me ligam”, diz. Ele ressalta que não pega mais cobras que pertencem às matas. 


Atualmente, Dirley tem 32 cobras em casa, mas já chegou a ter 60. Questionado sobre ter medo do animal, ele brinca que as cobras é que têm medo dele. “Elas me olham, meio assim, e sentem medo de mim”.


Ele explica que antigamente usava uma varinha para pegá-las, mas hoje captura todas com a mão mesmo. “Coloco elas dentro de uma sacola de plástico e levo embora”, explica.



“Antes o pessoal me dava ratos para eu dar a elas. Hoje, eu mesmo coloco a armadilha e pego os ratinhos.”



As cobras não ficam por muito tempo. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ou secretarias de Saúde da região buscam os répteis. Mas enquanto elas ficam na casa de Dirley, são bem tratadas.


“Antes o pessoal me dava ratos para eu dar a elas. Hoje, eu mesmo coloco a armadilha e pego os ratinhos”. As cobras normalmente têm um metro de comprimento, segundo ele.


Dirley garante que os vizinhos dele também não têm medo. “Eles gostam porque aí o pessoal vai assaltar do outro lado da cidade”, brinca.

Bloco de Galeria

Fotos: Reprodução/Facebook

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo