Fechar

Maringá

Relação

Viagem, mesada, poder: maringaenses investem no relacionamento sugar

Publicado por Redação GMC, 10:00 - 16 de Julho de 2019

Bloco de Imagem

O site Meu Patrocínio diz que sugar daddies têm, em média, 42 anos. Já a idade média das sugar babies é 26 anos e das sugar mommies é 50 anos. Foto: Ilustrativa/Pixabay

De um lado, homens e mulheres bem-sucedidos, com grana de sobra, e com status na sociedade. De outro, jovens atraentes e em busca de “patrocinadores”. Em comum: a disposição para um relacionamento onde a beleza e a conta bancária recheada são fatores fundamentais.


Mais difundido nos Estados Unidos, Canadá e Europa, o relacionamento batizado de “sugar” foge (e muito) dos padrões convencionais e ganha adeptos no Brasil, inclusive em Maringá.


Fundada em 2015, a rede social “Meu Patrocínio” foi criada para reunir, principalmente, homens ricos e “maduros” dispostos a “bancar” mulheres belas com viagens, joias, outros presentes e até mesmo perspectivas na carreira profissional.


No Brasil, segundo a assessoria de imprensa da rede social, são 2,8 milhões de usuários cadastrados. Destes, quase 13 mil informaram que moram em Maringá.


No site, o “sugar daddy” é o homem disposto a “patrocinar” uma mulher mais jovem, a “sugar baby”. Já as “sugar mommies” são mulheres ricas e maduras, disponíveis para “relacionamentos patrocinados com homens mais novos".


Segundo o “Meu Patrocínio”, de Maringá estão cadastrados 1.952 sugar daddies, 44 sugar mommies e 10.937 sugar babies. Os números divulgados pelo site apontam, ainda, que a média patrimonial dos sugar daddies é de R$ 7,7 milhões, sendo que a renda mensal deles gira em torno de R$ 80 mil.


Outro dado divulgado é que esses homens ricos têm, em média, 42 anos. Já a idade média das sugar babies é 26 anos e das sugar mommies é 50 anos.

Bloco de Imagem

Viagens e presentes geralmente fazem parte em um relacionamento sugar. Foto: Ilustrativa/Pixabay

Jennifer Lobo, CEO e fundadora da plataforma, aponta a transparência como um dos motivos para que as pessoas invistam neste tipo de relacionamento.


“Metas e ambições na maioria das vezes estão desalinhadas nos namoros convencionais, então criei esta comunidade onde pessoas podem ser abertas e honestas sobre suas expectativas e obter em retorno exatamente o que estão buscando em um relacionamento”, diz.


Para fazer parte da rede social é preciso fazer um cadastro e entrar em uma fila de espera para saber se será ou não aceito. O site somente aceita maiores de 18 anos e afirma que proíbe prostituição, atividades ilícitas e comerciais.


De acordo com o site, uma sugar baby deseja, no entanto, mais do que ganhar presentes, viagens e ter suas despesas pagas.


“No relacionamento sugar, frequentemente encontramos sugar daddies que, de alguma forma, ajudam a manter financeiramente as suas escolhidas, mas, cada vez mais comum também é nos depararmos com a figura de um ‘mentor’, aquela pessoa que impulsiona a carreira, facilita contatos e até mesmo investe em um negócio. Para elas, a possibilidade de garantir a independência financeira. Para eles, a satisfação de poder contribuir para o futuro profissional”, afirma o Meu Patrocínio.

Bloco de Imagem

Jennifer Lobo é CEO e fundadora da plataforma Meu Patrocínio. Foto: Divulgação

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo