Maringá

Maringá

UPA pede ajuda para identificar jovem internado desde domingo

Publicado por Nailena Faian, 16:52 - 30 de outubro de 2018

Um jovem com idade entre 20 e 25 anos está internado desde domingo (28) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Norte, em Maringá. A unidade pede ajuda para identificá-lo, já que foi encontrado sem documentos e desorientado.


O jovem magro, de 1,78 metro de altura, foi levado pelo Samu até a UPA depois de ser encontrado caído na Rua Rui Pardo, no Jardim Lea Leal, por volta das 13h. Ele estava desorientado e não respondia a estímulos.


Conforme a UPA, ele usava camiseta preta com detalhes em vermelho, verde e amarelo e calça preta com listras laterais na cor laranja.


Quem tiver alguma informação que ajude a identificar o jovem pode entrar em contato pelos telefones 3261-7900/7907 ou na UPA Zona Norte, que fica na Rua Ana Neri, 152, Jardim Alvorada.

Bloco de Imagem

Jovem tem entre 20 e 25 anos e está desorientado e sem documentos. Foto: Divulgação/PMM

Cartilha


Quando alguém desaparece o que devemos fazer? Se encontramos uma pessoa sem identificação no hospital, estação de transporte público, na rua ou em outras circunstâncias, como devemos proceder?


Para orientar as pessoas que se deparam com essas situações, foi elaborada a cartilha “Alguém desaparece ou é encontrado sem identificação – o que fazer?”.


A cartilha apresenta os principais motivos para o desaparecimento de uma pessoa e quais ações podem ser adotadas por cidadãos comuns ou profissionais das áreas de saúde, segurança, entre outras.


Para ver a cartilha clique aqui.

Desaparecidos


A cada 100 pessoas desaparecidas no Paraná, três foram vistas pela última vez em Maringá. De acordo com dados do sistema informatizado da Polícia Civil, em todo o estado, são 2.175 desaparecidos, sendo 35 menores de 12 anos. Em Maringá, pelo menos 69 pessoas com mais de 12 anos desapareceram, além de duas crianças.


Os casos de desaparecidos com mais de 12 anos são investigados pela Polícia Civil de cada cidade. Quando se trata de crianças – menores de 12 anos – os casos ficam sob cuidados do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), criado em 1992.


O número de Maringá é alto se comparado à Cascavel (273 km de Maringá), cidade com quase o mesmo porte de Maringá, em torno de 350 mil habitantes, e que registrou o desaparecimento de 30 pessoas. Em Londrina (97 km de Maringá), onde a população é maior - cerca de 560 mil habitantes -, são 68 desaparecidos.


De acordo com o delegado da Polícia Civil de Maringá, Luiz Henrique Vicentini, o número não é exato porque no site só são publicados boletins de desaparecimento de pessoas que têm fotos. “Além disso, muitas vezes a pessoa é encontrada, mas a família não volta à delegacia para dar baixa no boletim de ocorrência”, explica o delegado.


Na lista que consta no Sistema de Pessoas Desaparecidas, além do nome e a foto da pessoa desapareceu, são informados o município e a data em que ela foi vista pela última vez, assim como a idade que ela tinha e a idade estimada nos dias atuais, a roupa que ela usava e características dos olhos e cabelo.


Para conferir a lista completa de desaparecidos e saber onde ligar caso tenha pistas sobre o paradeiro de alguma das pessoas cadastradas no sistema acesse www.desaparecidos.pr.gov.br.

Bloco de Imagem

Foto: Ilustrativa/Pixabay

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo