Fechar

Maringá

País

Trabalhadores dos Correios entram em greve

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 08:01 - 11 de Setembro de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Isabel Peliçon/Divulgação/CBN Maringá

Trabalhadores dos Correios de 25 estados e do Distrito Federal entraram em greve, segundo o sindicato que representa a categoria em Maringá. A paralisação foi decidida na noite dessa terça-feira (10) e começou a valer na primeira hora desta quarta-feira(11).


A data-base dos funcionários da empresa é 1º de agosto. A negociação estava sendo conduzida pelo Tribunal Superior do Trabalho, que propôs a prorrogação das negociações por mais um mês, mas a empresa recusou.


Os trabalhadores dizem que vão permanecer em greve até que haja o dissídio. A categoria pede 3,43% de reposição salarial e manutenção de benefícios, como plano de saúde para os dependentes. A CBN Maringá entrou em contato com os Correios no Paraná, que deu retorno por meio de nota:


"Esclarecemos que Correios participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões. Mas as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso pela empresa.


No momento, o principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população."


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo