Fechar

Maringá

Vida religiosa

Sacerdócio atrai jovens em Maringá; saiba como se tornar padre

Publicado por Nailena Faian, 09:00 - 29 de Agosto de 2018

Bloco de Imagem

Para se tornar padre, candidatos precisam estudar por nove anos. Foto: Ilustrativa/Pixabay

Com a tecnologia na palma das nossas mãos, temos infinitas possibilidades. Seja pelo celular, computador ou iPad, o mundo está ali, pronto para ser desvendado. Conteúdo educativo, engraçado, informativo ou erótico, basta clicar.


Em meio a tantas possibilidades, Rafael Brandão Rocha, de 19 anos, quis seguir o caminho religioso. Ele está no primeiro ano do total de nove que são necessários para se tornar padre. Incentivado pela família, participou de encontros vocacionais no Seminário de Maringá desde os 15 anos.


Ele conta que as redes sociais estão presentes no dia a dia dos seminaristas e que são ferramentas importantes, mas é preciso usá-las de forma positiva. “Utilizo o WhatsApp para divulgar encontros vocacionais. Para mim, é uma ferramenta essencial para contatar os jovens que tem o desejo de ser padre”, diz.


Atualmente, na Arquidiocese de Maringá, 32 pessoas estudam para ser padre. São jovens com idade entre 18 e 26 anos que precisam estudar por nove anos para alcançar o sacerdócio. Menos da metade dos jovens que ingressam no seminário da cidade chega ao fim do processo, afirma o padre Nailson Bacon, que é assessor do Serviço de Animação Vocacional.


“O seminário é um processo de discernimento. De toda turma que entra, cerca de 30% a 40% chegam ao fim. Hoje entram menos seminaristas que década de 1990, mas os de hoje perseveram mais”, afirma padre Nailson.

Bloco de Imagem

Seminário Arquidiocesano de Maringá. Foto: Reprodução/Facebook

Neste ano, a Arquidiocese de Maringá já realizou três ordenações presbiterais. No ano passado, foram duas, que é a média de ordenação por ano feita pela arquidiocese.


Enquanto estudam para exercer o ofício sagrado, os jovens moram no seminário. Ficar longe da família é uma das maiores dificuldades enfrentadas por eles, que geralmente visitam os parentes uma vez por mês.


“Para mim foi um desafio muito grande ficar longe da família”, lembra o padre Rafael da Silva Francisco, de 26 anos, ordenado vigário neste ano.


Sobre as redes sociais, ele acredita que pode ser uma maneira do jovem encontrar o caminho de Deus. “Acho que os meios de comunicação vieram para somar com as vocações. Eles podem contribuir, mostrando o caminho de encontro com Deus. Mas, para isso, a igreja precisa gritar, se comunicar por meio deles”, defende padre Rafael.


Ele conta que desde os 15 anos pensava em ser padre. “Participei de grupo de jovens na igreja, conheci padres, irmãs, seminaristas e vi que era possível ser feliz me doando inteiramente para a igreja”.

Bloco de Imagem

Padre Rafael da Silva Francisco foi ordenado vigário neste ano. Foto: Reprodução/Facebook

Marcos Felipe dos Santos, de 25 anos, está no primeiro ano do seminário. Com 10 anos, começou na catequese por conta própria. O pai não pertencia a nenhuma religião e a madrasta era católica, mas não frequentava a igreja. Santos chegou a se afastar por 6 anos da vida religiosa.


“Vontades me fizeram desistir de ser padre. Mas meu amor por Deus foi mais forte. Vejo na figura do padre uma forma de ajudar os necessitados”, revela ele.


Processo para se tornar padre


Duração: 9 anos


São três etapas: Um ano no Seminário Propedêutico em Mandaguaçu; quatro anos no Seminário de Filosofia em Maringá; e quatro anos no Seminário de Teologia em Londrina.


1) Seminário Propedêutico


O período é para o candidato amadurecer sua personalidade e conhecer a si mesmo; se aprofundar na vida comunitária, superando individualismo, apegos pessoais; para conhecer mais a Deus, estudar e se preparar para a vida eclesial.


2) Seminário de Filosofia


Nesta etapa, o candidato a padre vai cursar Filosofia e também participar de atividades no seminário. “A formação filosófica é um dos elementos constitutivos da formação presbiteral, quer para a adequada interpretação do ser humano e do mundo, da história e da sociedade, do pensamento humano e das correntes culturais e religiosas do nosso tempo, quer como suporte para o diálogo com o mundo contemporâneo, quer para a descoberta da dimensão transcendental da existência”, diz trecho das Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil.


3) Seminário de Teologia


Aqui ocandidato cursa a faculdade de Teologia e também tem atividades no seminário. “As disciplinas teológicas devem ser ensinadas à luz da fé e sob a direção do Magistério da Igreja de modo que os estudantes possam acuradamente haurir da Revelação divina a doutrina católica, nela penetrar profundamente, torná-la alimento da própria vida espiritual, anunciá-la, expô-la e defendê-la no ministério sacerdotal”, explica trecho do decreto sobre a Formação Sacerdotal.


Quem pode participar?


Para ingressar no seminário é preciso ter concluído o Ensino Médio. Mas, enquanto ainda está cursando, é possível participar de encontros vocacionais.“Os interessados visitam o seminário uma vez por mês para serem auxiliados no processo de dicernimento vocacional, com trabalhos de grupo, partilha e auxílio espiritual e psicológico. Se aprovados, podem ingressar”, explica padre Nailson.


Interessados podem entrar em contato com o seminarista Rafael Sperandio (44) 9 9752-9583/ com o padre Marcos André (44) 3245 5727 ou com o padre Pedro (44) 3224 4965.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo