Fechar

Maringá

Maringá

Convênio prevê implementação de mais 3 refeitórios populares

Publicado por Redação GMC Online, 14:26 - 20 de Dezembro de 2019

Um convênio entre a Prefeitura Municipal de Maringá e a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) prevê a reforma do atual Restaurante Popular, localizado na Av. Duque de Caxias, além da implementação de mais três refeitórios do tipo na cidade. As futuras instalações devem ficar localizadas no Conjunto Ney Braga, Tuiuti e Honorato Vechi.


O acordo foi assinado na quinta-feira, 19, e prevê investimentos de quase R$ 3,3 milhões, sendo R$ 2,9 milhões investidos pelo Governo do Estado e pouco mais de R$ 330 mil pelo município. O investimento integra o Programa Paranaense de Apoio aos Restaurantes Populares.


De acordo com o convênio, ′a ação tem a pretensão de atingir a maior parcela possível de famílias em situação de insegurança alimentar, com atendimento prioritário de trabalhadores, idosos, estudantes, aposentados, desempregados, coletores de material reciclável, ambulantes e moradores em situação de rua′. O Restaurante Popular, que funciona na cidade desde agosto de 2010, serve diariamente 1,1 mil refeições.


O convênio, com validade de 24 meses, prevê prazo de 270 dias (9 meses) para a execução da obra, contados a partir da data do repasse da primera parcela estabelecida no cronograma de desembolso, em fase de elaboração. Os locais para instalação de refeitórios foram escolhidos após análises, que consideraram aspectos sociais e econômicos. A estrutura do Restaurante Popular srá reformada e ampliada para fornecer o cardápio servido nos três refeitórios.

Bloco de Imagem

Foto: Aldemir de Moraes/PMM

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo