Fechar

Maringá

Agressão

MP investiga denúncia contra dois guardas municipais de Maringá

Publicado por Carina Bernardino/CBN Maringá, 13:24 - 23 de Janeiro de 2019

Foi durante a audiência pública realizada pelo Observatório das Metrópoles de Maringá, no dia 21 de outubro de 2018, que um morador de rua relatou a suposta agressão sofrida durante a abordagem de guardas municipais. Após a reunião, o Observatório encaminhou os relatos ao Ministério Público de Maringá, que começou a ouvir supostas vítimas dos agentes municipais.


Ainda no fim do ano, o MP convocou os responsáveis da secretaria de Segurança Pública e Guarda Municipal para prestar esclarecimentos a cerca do trabalho prestado pelos servidores. Segundo a coordenadora do Observatório das Metrópoles, Ana Lúcia Rodrigues, as agressões teriam ocorrido na Rua Fernão Dias, no período da noite.


O secretário de Segurança Pública de Maringá, Antonio dos Anjos Padilha, diz que a Guarda Municipal não realiza abordagens noturnas e se isso de fato ocorreu, os guardas municipais podem ser punidos. Mas, até que a investigação seja concluída e a situação esclarecida, os dois profissionais suspeitos de terem agredido os moradores de rua ficarão afastados do cargo e estão atuando em outros departamentos da prefeitura.


A reportagem não conseguiu contato com o promotor do Ministério Público responsável pela investigação, mas soube que o processo está na fase inicial e que ainda não foi instaurado inquérito para apurar a denúncia. A pesquisa do Observatório das Metrópoles de Maringá apontou que em 2018, no comparativo com 2017, houve aumento de 61% da população de rua da cidade.


Em 2017 foram abordadas 222 pessoas e entrevistadas 177, 45 não responderam a pesquisa. Já em 2018 foram abordadas 357 pessoas, sendo 247 entrevistadas e outras 110 pessoas que se recusaram a participar da pesquisa.

Bloco de Imagem

Foto: ilustrativa/arquivo/CBN Maringá

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo