Fechar

Maringá

Natal

Liberdade dos adolescentes suspeitos de incendiar árvore depende do MP

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 10:55 - 27 de Dezembro de 2018

Bloco de Imagem

Foto: Arquivo/CBN Maringá

Os adolescentes suspeitos de incendiar a árvore de Natal da praça da Catedral estão internados no Centro de Socioeducação (Cense) de Maringá. A decisão foi do delegado de plantão. Agora o Ministério Público (MP) vai avaliar se eles serão ou não liberados para responder por ato infracional em liberdade.


Na tarde desta quarta-feira (26), menos de 12 horas depois do incêndio que destruiu a Árvore dos Desejos, uma das atrações do projeto Maringá Encantada, os dois adolescentes foram apreendidos.


Eles ficaram horas na delegacia. Acompanhados dos pais e advogados, os dois foram ouvidos, mas negaram o ato. Eles disseram à polícia que estiveram na Praça da Catedral na madrugada dessa quarta-feira, mas foram embora antes do fogo começar.


O fogo começou às 3h30 da madrugada e os adolescentes afirmaram que às 2h30 já estavam em casa. No entanto, o delegado de plantão, Luiz Claudio Alves, decidiu manter os adolescentes apreendidos. É que antes do advogado chegar, um dos adolescentes teria confessado participação durante uma entrevista.


“Eles foram atuados em flagrante por um ato infracional análogo ao crime de incêncio previsto no código penal. E isso foi possível diante dos indícios que foram angariados durante as investigações. (...) Eles confessaram a prática infracional diante de uma emissora, inclusive. Há uma gravação onde esses menores assumem a responsabilidade”.



Ouça a entrevista completa na CBN Maringá.



A reportagem entrou em contato com o Ministério Público, mas foi informada que o caso está sob sigilo e que nenhum detalhe será divulgado.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo