Fechar

Maringá

Em 2018

Movimento cresce na Rodoviária de Maringá

Publicado por Redação GMC,, 10:50 - 04 de Junho de 2018

O movimento está maior na Rodoviária Dr. Jamil Josepetti, em Maringá. No primeiro quadrimestre do ano, 434.604 pessoas embarcaram ou desembarcaram no terminal, 3,7% a mais que os 418.766 registrados no mesmo período de 2017. É o que mostra levantamento do Observatório do Turismo e Eventos do Maringá e Região Convention & Visitors Bureau.


Entre janeiro e abril de 2018, a rodoviária concentrou 219.454 embarques e 215.150 desembarques, contra 207.310 embarques e 211.456 desembarques nos quatro primeiros meses do ano passado.


O levantamento do Observatório do Turismo foi realizado com base nos dados repassados pela Secretaria de Patrimônio, Compras e Logística da Prefeitura de Maringá.


O Observatório do Turismo e Eventos reúne informações para identificar os potenciais e as carências do turismo e eventos da cidade. Os dados são disponibilizados para que especialistas, poder público e privado e a sociedade civil organizada sejam auxiliados nas tomadas de decisão que envolvam o setor.


São monitorados a tarifa média cobrada pelos hotéis; a taxa média de ocupação dos hotéis; o Imposto Sobre Serviços (ISS) arrecadado na área de turismo; o mercado de trabalho ligado ao turismo; a malha rodoviária; a movimentação do Aeroporto Regional Silvio Name Júnior e a movimentação terrestre pela Viapar.


O projeto é patrocinado pela Viapar e tem, ainda, apoio do Sindicato dos Lojistas do Comércio Varejista de Maringá e Região (Sivamar), Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem), Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), Cooper Card e Sebrae.


Todos os dados estão disponibilizados gratuitamente no site www.maringacvb.com.br/observatorioturismomaringa.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo