Fechar

Maringá

Bloqueio

Paraná congela repasses para obras em rodovias de Maringá

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 15:25 - 09 de Janeiro de 2019

Bloco de Imagem

A ação bloqueia 20% de todo o orçamento do Paraná. Imagem ilustrativa/Arquivo/AEN

O Governo do Paraná congelou o repasse de R$ 10,8 milhões para quatro obras em rodovias de Maringá. A medida está publicada no anexo de um decreto do dia 7 de janeiro. A ação bloqueia 20% de todo o orçamento do Paraná. Segundo o Governo, é para garantir o equilíbrio fiscal do orçamento – de R$ 57 bilhões para 2019.


O contingenciamento dos valores de obras em Maringá não atinge o total desses serviços. No caso da duplicação da PR-317, entre Maringá e Iguaraçu, a quantia bloqueada é de R$ 2 milhões. No ano passado, o Governo havia divulgado que gastaria R$ 160 milhões com a obra.


Em relação à construção do viaduto no Catuaí, que o Governo abriu licitação em 2018 para pagar até R$ 34 milhões; o congelamento via decreto é de é de R$ 5,2 milhões.


Há bloqueios de recursos na construção de viadutos em Iguatemi, de R$ 3,7 milhões; e também na construção de um viaduto na PR-323, com a PR-317, no valor de R$ 1,9 milhão.


O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, que está em Curitiba, afirmou estar tranquilo por conta dessa medida. Ele disse entender que o governo quer saber como estão as finanças do estado. E, segundo ele, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior disse que Maringá não vai ter prejuízos.


Por meio de nota, o Governo do Paraná explicou que o contingenciamento pode ser liberado no futuro, e que a ação não vai paralisar os serviços essenciais do estado.


Em Maringá, além dos R$ 10,8 milhões para obras, foram bloqueado R$ 160 milhões, R$ 155 milhões da UEM e do Hospital Universitário (HU).

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo