Fechar

Maringá

Dia das Mães

Fotógrafa de recém-nascidos, maringaense está prestes a ser mamãe

Publicado por Nailena Faian, 15:30 - 12 de Maio de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Mansano Fotografia

Barrigão de grávida e câmera na mão para fotografar o barrigão de outras grávidas e também recém-nascidos. A maringaense Mônica Luiza Rivaroli, de 30 anos, trabalha com fotografia de família há cinco anos, quando estava concluindo a graduação em engenharia, mas optou por abrir um negócio com a mãe.


“Minha mãe era vendedora. Ela estava assistindo um curso de fotografias de bebês e quando viu disse que era isso que queria para vida dela. Desde pequena eu gostava de fotografia, então decidimos fazer o curso e descobrimos o amor por essa profissão”, conta Mônica.


Ela está prestes a ser mamãe. Grávida de 34 semanas, a expectativa é de que a bebê, que se chamará Liz, venha ao mundo no dia 10 de junho. Casada há um ano, Mônica conta que sempre teve vontade de ser mãe e que a pequena vai vir para completar a alegria da família.



“A gente esperava muito por esse filho. Minhas clientes sempre falam que quando eu fosse mãe, seria uma mãezona, porque cuido muito bem dos pequenos delas”, conta.



Ela e a mãe, que também se chama Mônica e completa 50 anos no próximo dia 12, Dia das Mães, já têm muita prática com bebês, o que já é um “plus” para a mamãe de primeira viagem.


“A fotografia de recém-nascido, chamada de newborn, é delicada. É preciso um cuidado especial. Além de saber sobre fotografia, manipulando a câmera e a luz, tem a responsabilidade de conhecer a anatomia do bebê para poder manipulá-lo na hora do ensaio. Isso para garantir segurança e também deixar a criança confortável”, explica.


 

Bloco de Imagem

Mãe e filha trabalham juntas em negócio de fotografia de família. Foto: Arquivo pessoal

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo