Fechar

Maringá

Urbanismo

Empresa da SP vence concurso para revitalização do Eixo Monumental

Publicado por Redação GMC, 11:15 - 02 de Novembro de 2018

Bloco de Imagem

Batizada de “Eixo Vivo”, a proposta vencedora quer reestruturar o Eixo Monumental de Maringá recuperando a vida urbana e a unicidade da área central. Foto: Divulgação

A comissão especial formada por arquitetos e profissionais do setor definiu na tarde desta quinta-feira (1), o projeto vencedor do Concurso Nacional para Requalificação do Espaço Público do Eixo Monumental de Maringá.


Depois de analisar desde a última terça-feira (30) os 20 projetos inscritos e homologados para o concurso, a comissão multidisciplinar de julgamento escolheu como ideal para ser colocado em prática o estudo realizado pela empresa Natureza Urbana, de São Paulo.


Liderada pelo arquiteto Pedro Paes Lira, a equipe paulistana traz como proposta principal no projeto a potencialização dos espaços públicos do Eixo Monumental, priorizando sua utilização para os pedestres, como um local de encontros e celebrações.


A justificativa principal é que hoje o eixo encontra-se descaracterizado, com a presença de barreiras que resultam na fragmentação do espaço, prejudicando sua compreensão como eixo conector e estruturador.


Batizado de projeto “Eixo Vivo”, a proposta é reestruturar o Eixo Monumental de Maringá recuperando a vida urbana e a unicidade da área central.


A empresa vencedora também argumenta que a pluralidade do espaço possibilita a criação de uma identidade e promove oportunidades distintas de interação e apropriação dos lugares, configurando um panorama de desenvolvimento, inclusão e conservação.


“A cidade de Maringá apresenta uma paisagem única marcada pelo traçado urbano planejado e por seu projeto de arborização urbana que realça as principais avenidas da cidade. O plano urbanístico se desenvolveu considerando dois eixos principais: o da ferrovia, traçado no sentido leste-oeste, e o do Eixo Monumental, conformado a norte-sul”, diz o texto de apresentação do projeto pela equipe.


O ato de premiação, assim como a contratação da equipe vencedora do concurso, está programado para o dia 22 de novembro.


A equipe vencedora assinará contrato com a Prefeitura de Maringá, no valor de R$ 1,150 milhão, para elaboração de todos os projetos executivos previstos para a área a ser requalificada.


Modalidade ideal


Com 1,8 km de extensão e área de 169 mil m², o Eixo Monumental de Maringá é um importante espaço central compreendido entre a Praça da Catedral e o complexo esportivo da Vila Olímpica.


O Concurso Nacional para Requalificação do Espaço Público foi idealizado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Maringá (IPPLAM) e Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan) e teve sua organização sob responsabilidade da seção Paraná do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/PR).


Aberto a participação de profissionais e entidades de todo o país ligadas às áreas de engenharia, arquitetura e urbanismo, o concurso buscou dos concorrentes inscritos a apresentação da melhor proposta de estudo preliminar de arquitetura e paisagismo, visando contratar o vencedor para a elaboração do Projeto Legal, Executivo, Memorial Descritivo, Orçamento Completo, Cronograma Físico-Financeiro, Compatibilização e Coordenação dos Projetos Complementares para a remodelação do espaço público do Eixo Monumental.


O diretor-presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Maringá, Celso Saito, considera que a contratação pela elaboração e execução de um projeto por meio de concurso público é sinal de sucesso e grande conquista para a cidade. “Todo esse processo valoriza a racionalidade da proposta da administração municipal de sempre contratar projetos de qualidade e não só pelo menor preço, previsto nas modalidades convencionais, quando o produto apenas é conhecido depois de sua execução”, finaliza.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo