Fechar

Maringá

Saúde

Decreto vai proibir a venda de refrigerante e chocolate em escolas

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 10:03 - 04 de Junho de 2019

Cantinas de escolas não poderão vender refrigerantes e nem chocolate. Em Maringá, está sendo elaborado um decreto para proibir a venda de produtos muito processados dentro das escolas da cidade.


Existem leis, inclusive dentro do município, que regulamentam a venda de alimentos em cantinas. São leis dos anos 2000, mas que até agora não estão sendo aplicadas de forma eficiente. A proposta é oferecer aos alunos apenas alimentos saudáveis.


Para isso, agentes da Vigilância Sanitária estão percorrendo as escolas para orientar os proprietários de cantinas e os diretores. A nutricionista Suelen Cadamuro explica que entre os alimentos e bebidas proibidos estão o refrigerante e até o chocolate.


"Tudo o que tem muita concentração em açúcar, tudo o que é fritura, foi proibido na cantina, e também os corantes, que foi uma vitória na parte nutricional. Esses alimentos ultraprocessados que nós não queremos que as crianças tenham acesso. O que foi permitido, que a gente está incentivando, são frutas, iogurtes naturais, tudo o que vem de uma alimentação mais saudável, mas equilibrada, já pensando na saúde dessas crianças", afirma Suelen. 


O assunto está sendo debatido na Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. A assessora do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional, Eloacy Tavares, diz que a conferência reúne os desejos da sociedade civil e deste debate surgem políticas públicas como, por exemplo, o restaurante popular.



Ouça a reportagem



A conferência está sendo realizada no campus da PUC e termina às 14h desta terça-feira (4). 

Bloco de Imagem

Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo