Fechar

Maringá

Tanajuras

Calor expulsa formigas 'gigantes' de tocas para praças de Maringá

Publicado por Carina Bernardino/CBN Maringá, 18:08 - 10 de Outubro de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Da família das saúvas, formigas da espécie tanajura têm se tornado "atração" no final dos dias quentes nas praças públicas de Maringá. Elas saem das tocas ou formigueiros atrás da brisa das árvores, chamando a atenção de moradores.


Mas apesar de alguns casos, não existe infestação dessas formigas "gigantes" na cidade. Um dos motivos é o controle de pragas urbanas nos espaços públicos. O secretário de Serviços Públicos, Vagner de Oliveira, reforça que a população não tem com que se preocupar.


"Temos esse controle de pragas, a gente vem fazendo esse trabalho periodicamente em todas as praças, espaços públicos, canteiros, então não tem nada preocupante. Nessa época, realmente, aparecem muitas dessas formigas", diz o secretário. 


A tanajura é uma formiga alada, do sexo feminino, da família das formigas-cortadeiras. É uma fêmea virgem que após acasalar, funda um novo formigueiro. De acordo com o biólogo Erick Caldas Xavier, na área urbana, o aparecimento delas acontece durante as estações mais quentes. No campo, as saúvas são uma das mais importantes pragas agrícolas.


Ouça na reportagem


Em outras regiões do Brasil, como nos estados de São Paulo e Minas Gerais, as tanajuras são apreciadas como iguaria. A tradição que vem da cultura dos índios, que se alimentavam dessas formigas. Geralmente, são servidas fritas em bares e restaurantes populares ou até misturadas com farofa. Em Maringá, pelo menos por enquanto, as saúvas são encontradas apenas nas calçadas e praças públicas.


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo