Fechar

Maringá

No sábado

Após morte de bailarina, Maringá terá ato de repúdio ao feminicídio

Publicado por Monique Manganaro, com informações de Fábio Guillen , 08:46 - 28 de Janeiro de 2020

Além da comoção social, a morte da bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, de 25 anos, assassinada próximo a uma cachoeira de Mandaguari, tem causado revolta, principalmente entre mulheres. Nesta segunda-feira, 27, começou a ser organizado um ato de repúdio ao feminicídio, que deve ocorrer no próximo sábado, 1º, em Maringá.


A manifestação, segundo a própria organização, é autônoma e repudia a violência de gênero, além de lembrar “aquelas que morreram por serem mulheres”.


Em menos de 24 horas, mais de 700 pessoas já haviam confirmado presença no ato e outras 900 demonstraram interesse. 


Nesta quarta-feira, 29, os manifestantes pretendem se reunir para planejar o ato. A reunião está marcada para às 18h, embaixo do Restaurante Popular de Maringá (localizado na Rua Professor Lauro Eduardo Werneck, 500, Zona 7).


A concentração para a manifestação será feita na Praça Renato Celidônio, a praça da Prefeitura de Maringá, a partir das 16h do sábado. 

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Facebook

Morte da bailarina


Maria Glória Poltronieri Borges foi encontrada morta na tarde de domingo, 26, próximo a uma cachoeira de Mandaguari. Mago, como era chamada por familiares e amigos, foi ao local no sábado, 25, para acampar.


A Polícia Civil investiga o caso e já tem fotos de pessoas que passaram pela cachoeira no fim de semana. Os investigadores trabalham agora para tentar identificar essas pessoas e ouvi-lás.


“Nós já temos fotos de pessoas que estiveram com ela e agora essas pessoas precisam ser ouvidas. Elas são peça chave pra gente avançar nas investigações”, disse o delegado Diego de Almeida, de Maringá, ao GMC Online. Almeida está ajudando na investigação.


A Polícia Civil de Mandaguari juntou forças com equipes de Maringá para acelerar a investigação e chegar mais rápido ao autor, ou autores, do crime. O delegado, inclusive, não descarta a possibilidade de mais de uma pessoa ter envolvimento na morte de Maria Glória.

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo