Fechar

Maringá

Dia do sexo

A vida das garotas de programa de luxo em Maringá; e outras histórias

Publicado por Redação GMC, 14:00 - 06 de Setembro de 2019

Esta sexta-feira (6) é dedicada ao Dia do Sexo. Por causa da data, o Portal GMC Online vai relembrar três reportagens que envolvem o assunto: o mercado das garotas de programa de luxo de Maringá, cada vez mais presentes na internet; o chamado “relacionamento patrocinado” e as sugar babies, com adeptos em Maringá; e o perfil dos maringaenses que acessam a internet em busca de traição.



O milionário mercado das acompanhantes


Bloco de Imagem

Foto: Marco Ant/Folhapress

Há anos que as garotas de programa são encontradas não mais apenas nas ruas, mas também na internet. São centenas de acompanhantes de luxo, que marcam programas online e movimentam cifras expressivas, inclusive em Maringá. Há pelo menos 15 sites do gênero encontrados na internet com garotas da cidade.


Somente o site Gata Urbana tem quase 800 mulheres cadastradas que oferecem esse serviço em Maringá. Presente em quatro estados e nove cidades, a responsável pelo site, Aline Torquato, diz que o diferencial é que os perfis são conferidos para garantir que as informações publicadas sejam verdadeiras.


Quem está há pouco tempo oferecendo o serviço pelo site é Mayumii Mestiça (nome fictício), de 22 anos, que trabalha há dois anos no ramo.


Ela atende das 10h às 20h, de segunda a sábado, cobrando R$ 200 por uma hora. Ela conta que atende cerca de 50 clientes por mês em espaço próprio. “Tinha amiga que fazia programa e optei por fazer também”, revela.


Perfil das acompanhantes de luxo


No total, o Gata Urbana conta com quase 3 mil cadastros, com mais de 500 anúncios no ar. Uma pesquisa realizada no fim do ano passado mostra o perfil das mulheres que oferecem o serviço. Elas têm, em média, 27 anos, 52% são morenas e 35% tem olhos castanhos claros.


De acordo com a pesquisa, elas têm cerca de 1,57 metro de altura, pesam 57 quilos e calçam 35. 57% delas se encontram somente com homens e 43% saem com mulheres também.


O levantamento mostra até o signo delas. A maioria (10,8%) é escorpiana, que, segundo a astrologia, são mulheres que têm disposição fora do normal, gostam de ousadia e acreditam que no sexo tudo é possível.


Os nomes mais comuns das acompanhantes de luxo são Bruna, Amanda, Fernanda e Alice.


Fetiches em Maringá


A pesquisa também apurou quais são os fetiches mais pedidos em Maringá para as acompanhantes de luxo, já que o ficar entre quatro paredes, os clientes manifestam suas fantasias sexuais. O levantamento mostra que, em Maringá, seis fetiches correspondem a 69% das solicitações.


No topo da lista estão inversão, sexo anal e dominação. O sexto fetiche mais pedido é o golden shower, que ganhou notoriedade após polêmica envolvendo o presidente Jair Bolsonaro em março deste ano.


“O motivo mais citado entre elas é a busca por sexo sem frescuras, onde não há rodeios e conquistas. Simplesmente existe o sexo sem o compromisso do depois. Outras dizem que muitos buscam esses fetiches para relaxar e sair da rotina estressante do dia a dia, como também do cotidiano em família. A maioria dos clientes vem em busca de fetiche, afinal sexo comum ele tem em casa”, explica a responsável pelo site, Aline Torquato. Leia a reportagem aqui.



Relacionamento “sugar”


Bloco de Imagem

Foto: Ilustrativa/Pixabay

De um lado, homens e mulheres bem-sucedidos, com grana de sobra, e com status na sociedade. De outro, jovens atraentes e em busca de “patrocinadores”. Em comum: a disposição para um relacionamento onde a beleza e a conta bancária recheada são fatores fundamentais.


Mais difundido nos Estados Unidos, Canadá e Europa, o relacionamento batizado de “sugar” foge (e muito) dos padrões convencionais e ganha adeptos no Brasil, inclusive em Maringá.


Fundada em 2015, a rede social “Meu Patrocínio” foi criada para reunir, principalmente, homens ricos e “maduros” dispostos a “bancar” mulheres belas com viagens, joias, outros presentes e até mesmo perspectivas na carreira profissional.


No Brasil, segundo a assessoria de imprensa da rede social, são 2,8 milhões de usuários cadastrados. Destes, quase 13 mil informaram que moram em Maringá.


No site, o “sugar daddy” é o homem disposto a “patrocinar” uma mulher mais jovem, a “sugar baby”. Já as “sugar mommies” são mulheres ricas e maduras, disponíveis para “relacionamentos patrocinados com homens mais novos".


Segundo o “Meu Patrocínio”, de Maringá estão cadastrados 1.952 sugar daddies, 44 sugar mommies e 10.937 sugar babies. Os números divulgados pelo site apontam, ainda, que a média patrimonial dos sugar daddies é de R$ 7,7 milhões, sendo que a renda mensal deles gira em torno de R$ 80 mil.


Outro dado divulgado é que esses homens ricos têm, em média, 42 anos. Já a idade média das sugar babies é 26 anos e das sugar mommies é 50 anos. Leia a reportagem aqui.



Traição a um clique


Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Ashley Madison

Maringá aparece na terceira posição em um ranking que mostra as 10 cidades do Paraná onde há maior procura por relacionamentos extraconjugais. É o que sugere um levantamento realizado pelo site Ashley Madison, especializado em aproximar pessoas que buscam um caso fora do namoro ou casamento.


O ranking leva em consideração a quantidade de pessoas cadastradas no site entre 1º de julho de 2018 e 1º de agosto deste ano. De acordo com o levantamento feito a pedido da reportagem do Portal GMC Online, Maringá só tem menos usuários no site que Curitiba e Londrina, cidades que aparecem na primeira e segunda posição, respectivamente.


Depois da Cidade Canção, o “top 10 da infidelidade” é completado por Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu, Paranaguá, Toledo, Francisco Beltrão e Pato Branco.


Ainda segundo os dados, mais de 35 mil pessoas que moram no Paraná estavam com contas ativas na plataforma de encontros extraconjugais até o começo do mês. Quase 70% deste percentual é composto por homens e mulheres que têm entre 20 a 40 anos. Leia mais aqui.


Veja abaixo a média de idade dos “traidores”:


18-20 anos: 5,8%
20-30 anos: 34,1%
30-40 anos: 33,0%
40-50 anos: 18,3%
50-60 anos: 6,6%
60 anos ou +: 2,2%


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

1 Comentários

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

  • Pimenta Club

    Pimenta Club

    1 semana atrás
    "Há anos que as garotas de programa são encontradas não mais apenas nas ruas, mas também na internet. São centenas de acompanhantes de luxo, que marcam programas online e movimentam cifras expressivas..."

    Sexo, Sapatos, Moda, Imóveis, ... tudo, já faz muito tempo que você encontra tudo no seu celular com empresas que movimentam "cifras expressivas"... pq às acompanhantes seria diferente?

voltar ao topo