Maringá

Saúde

4.732 crianças já foram imunizadas contra pólio e sarampo

Publicado por Carina Bernardino, CBN Maringá, 18:06 - 10 de agosto de 2018

Bloco de Imagem

Secretaria de Saúde, que estima imunizar 17.265 crianças até o dia 31. Foto: Cary Bertazzoni/PMM

Nos primeiros dias da campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite, em Maringá, pouco mais de 4,7 mil crianças foram imunizadas. Para a Secretaria de Saúde, que estima imunizar 17.265 crianças até o dia 31, a procura pela imunização nesta semana foi considerada baixa.


Em entrevista à CBN, a chefe de vacinas do município, Edlene Góes, disse que a meta é chegar a 95% de imunização, mas que até esta sexta-feira, apenas 15% do público-alvo foi vacinado.


“Em quatro dias de campanha de vacinação, nós vacinamos 2,4 mil crianças contra poliomielite e 2.332 crianças contra sarampo. Uma cobertura muito baixa ainda", comenta.


A campanha é direcionada para as crianças com mais de um ano e com menos de cinco anos de idade. A imunização também é recomendada para crianças que já receberam a vacina anteriormente.


“Mesmo que as crianças já tenham sido vacinadas contra pólio e sarampo precisam ser vacinadas novamente. São doses de reforço”, alerta Edlene.


A vacina está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na Sala de Vacinas da Secretaria de Saúde. No dia 18 de agosto, será realizado o Dia D, onde as 34 UBSs, a Sala de Vacinas e a Casa da Amizade do Rotary Club (Avenida Cerro Azul,199, Zona 2 ) estarão vacinando das 8h às 17h.


Para se imunizar, é preciso levar a carteirinha de vacinação. Segundo o Ministério da Saúde, dos mais de mil casos de sarampo registrados neste ano no país, nenhum ocorreu no Paraná. Os sintomas mais comuns da doença são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo