Fechar

Gastronomia

Maringá

No 'frio', bar vende cerca de 3 mil litros de caldo de mocotó por mês

Publicado por Nailena Faian, 14:30 - 12 de Junho de 2019

Bloco de Imagem

Tradicional em Maringá, Bar do Rafa serve comidas nordestinas desde 1987. Foto: Reprodução/Facebook

O Bar do Rafa, na Avenida Pedro Taques, é bastante movimentado. Quando a temperatura cai um pouco já fica difícil achar um lugar nos horários de pico. Isso porque o movimento aumenta cerca de 80% em comparação com os dias mais quentes. Mas quente mesmo é o mocotó de lá, que faz sucesso em Maringá.


O bar é especializado em comidas nordestinas e vende, além do famoso caldo de mocotó, caldo de piranha, dobradinha, rabada e porção de mocotó. E o horário de atendimento também é bem democrático: das 11h30 até 23h30. Deu vontade de comer às 16h? É só ir lá que o dono, José Rafael Pacheco, de 62 anos, estará te esperando.



“Gosto de cozinhar, aprendi com uma cozinheira mineira. Fico aqui o dia todo, gosto de trabalhar muito. Entro cedinho e saio só hora que fecha. Ficamos abertos sempre porque tem procura. E são comidas complicadas, não é qualquer um que faz”, explica Rafa.



De acordo com ele, no inverno, entre todos os pratos que prepara, são vendidos cerca de 100 quilos de comida por dia. O caldo de mocotó é disparado o prato mais pedido e são vendidos cerca de 120 litros por dia, o que contabiliza aproximadamente 3 mil litros por mês. A caneca com 260 ml custa R$ 6.

Bloco de Imagem

Caldo de mocotó é o prato mais pedido no inverno no Bar do Rafa. Foto: Reprodução/Facebook

O caldo de piranha custa o mesmo valor, já a porção de mocotó sai R$ 20 por pessoa. A rabada por R$ 28 e acompanha arroz, polenta e mandioca. Já a dobradinha sai por R$ 20 e acompanha arroz.


Quem dá conta de preparar tudo isso é o Rafa e o gerente do bar, o Gilson. São os dois na cozinha o dia todo, deixando tudo pré-pronto. O bar do Rafa existe desde 1987 e coleciona clientes fiéis.



“No mocotó, a gente faz tipo um sopão. Tira a gordura e coloca legumes. Quais legumes são eu não conto, é confidencial. Dia que faz muito frio o bar fecha mais cedo, porque acaba tudo, a gente quase morre de tanto trabalhar, mas é muito bom”, comemora Rafa.



Outro diferencial do bar são as pimentas em conserva que ele mesmo prepara. São mais de 500 vidros de pimentas. “Tem dedo-de-moça, malagueta, comari, são muitas. Sem pimenta não funciona, ela é essencial, dá mais apetite”, comenta Rafa.


Veja abaixo a galeria de imagens:

Bloco de Galeria
Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo