Fechar

Entretenimento

Lista

Orkut, mIRC, MSN e outras redes sociais que marcaram época

Publicado por Luiz Santos, 09:40 - 14 de Fevereiro de 2020

Antes da popularização do WhatsApp, Instagram e Facebook, os brasileiros já utilizaram uma série de redes sociais. Mensageiros, espaços para a publicação de fotos e sites para manter o contato com os amigos são alguns exemplos de comunidades virtuais que fizeram sucesso no País. Confira a lista e relembre algumas dessas redes sociais:


mIRC

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução

O mensageiro foi lançado em 1995 e fez muito sucesso pelas terras brasileiras até a popularização do MSN Messenger. Com o software, era possível conversar com pessoas espalhadas por todo o mundo.


No mIRC, os canais funcionavam como salas de chat sobre temas específicos. Eles podiam ser privados ou públicos e havia um limite de número de usuários.


O software está disponível e continua funcionando até os dias de hoje.


ICQ

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução

Contemporâneo do mIRC, o ICQ foi criado em 1996. Ao instalar o software, os usuários ganhavam um código de identificação que servia como login.


No começo, o mensageiro tinha poucas funções além da própria conversa. Não havia como conectar webcam, nem adicionar um avatar, por exemplo.


Um detalhe interessante é que o ICQ tinha um som durante a digitação parecido com o barulho de uma máquina de escrever.


O software ainda está disponível e faz sucesso em outros países, mas no Brasil a quantidade de usuários é bem baixa.


MySpace

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução

A rede social norte-americana foi lançada em 2003 e chegou a ser a mais popular do mundo. O MySpace tinha funções como boletim (uma espécie de feed), mensageiro, grupos, TV e até karaokê.


A diminuição do número de usuários se deu por causa da popularização do Facebook. Apesar disso, a rede social continua no ar.


Fotolog

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução

O site de fotografias foi criado em 2002 e permaneceu por anos nas listas de endereços mais acessados da internet.


Ao criar uma conta, os usuários podiam enviar fotos e interagir com as publicações dos amigos. Na versão gratuita havia um limite de um upload de imagem por dia, o que fez o site se tornar uma espécie de diário.


No Brasil, a rede social ficou marcada pela comunidade emo e também pela criação de fã clubes para artistas. Além disso, o Fotolog foi um dos primeiros espaços da internet que ajudou a alavancar a carreira de usuários.


A influencer Marimoon, por exemplo, ficou conhecida no site e, então, foi convidada pela MTV para se tornar VJ da emissora.


A rede social foi desativada oficialmente no ano passado.


Orkut

Bloco de Galeria

O famoso Orkut foi lançado em 2004 e permaneceu 10 anos no ar. Algumas das funções da rede social eram criação de albúns de fotos, uso de aplicativos, depoimentos públicos sobre os amigos e scraps.


Outro ponto alto do site eram as comunidades. Quem não se lembra de ícones como "Eu odeio acordar cedo", "Deus me disse: desce e arrasa" e "Tocava a campainha e corria"?


Além disso, havia um ranking com os percentuais de quão sexy, legal e confiável o usuário era. A sorte do dia e os visitantes recentes eram outros recursos que dão saudade para os internautas até hoje.


MSN Messenger

Bloco de Galeria

A plataforma de troca de mensagens da Microsoft foi inaugurada em 2005. No mensageiro, haviam recursos como chamar atenção, enviar winks, aparecer “off-line” e colocar músicas no subnick.


Também era possível enviar áudios, documentos e fotos pelo MSN. Outra função muito utilizada eram as conversas pela webcam.


A rede social foi descontinuada em 2014.


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo