Futebol

Brasileirão

Revista maringaense publica 4ª edição do Guia da Série D

Publicado por Chrystian Iglecias, 14:20 - 14 de Maio de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação/Série Z

Para quem curte acompanhar Futebol Alternativo, a revista Série Z é sempre um prato cheio. Declaradamente uma publicação que possui foco no "lado B" do futebol, a revista maringaense se dedica a cada ano, desde 2016, a produzir o Guia do Campeonato Brasileiro da Série D. Em sua quarta edição, a maior publicação anual da Série Z traz tudo sobre as 68 equipes participantes da competição: momento, campanha nos estaduais, chegadas e saídas, prováveis escalações, jogadores destaque, dados históricos... 


O nível de complexidade da produção do guia da Série D, certamente, é altíssimo. O extenso número de equipes e o fato de que a maioria delas não possuem tanta tradição e holofotes trazem uma difuculdade a mais. Nada que o jornalista Felipe Augusto, 25, criador e editor da revista Série Z, não sabia que teria de enfrentar. Afinal, está no próprio slogan da revista: "O futebol longe dos holofotes, uma paixão pelo alternativo".


"Mantemos contato com quase 50 redatores espalhados pelo Brasil. Um grande desafio que enfrentamos é a dificuldade de conseguir informações com clubes da outra ponta do país. De um universo de 68 clubes, mais de 50 saem do Estadual e semanas depois estreiam na Série D, com muitas mudanças, o que é outro desafio para todos os redatores'', afirmou Felipe Augusto em contato com o portal GMC Online.


 

Bloco de Imagem

Felipe Augusto fazendo a cobertura de um dos jogos do Maringá FC na Série D do ano passado. Foto: Kaique Augusto

A Série Z surgiu em 2013 em formato de blog, mas foi transformada em revista dois anos depois como parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Felipe Augusto. Nas considerações finais, ele acrescentou que uma das ideias futuras era fazer edições especiais em forma de guia. E não deu outra.


"Na minha mente, a Série D era a competição mais legal para se fazer isso desde que maturei a possibilidade. Em 2016, aí sim, reuní um pessoal que tinha contato nas redes sociais e procurei outros para realizar a edição. Desde então, temos quatro edições do Guia e criamos uma identificação com a competição, torcedores dos times participantes e adeptos da Série D", disse Augusto.


Ao ser perguntado sobre as histórias mais curiosas da Série D, Felipe não hesitou. "É só ver o que ocorreu na estreia do Maringá por parte da CBF, que passou a data da partida errada para o trio de arbitragem", disse. "A Série D é um prato cheio para histórias curiosas, o que é legal, mas ao mesmo tempo em alguns momentos mostra a desorganização", completou.


Felipe Augusto aproveitou a entrevista para comentar as chances de um eventual acesso do time da cidade para a Série C do Campeonato Brasileiro. Nas primeiras duas partidas, o Maringá FC saiu de campo com dois empates. O primeiro, sofrido, diante do Avenida-RS, no Willie Davids. O segundo, um 0 a 0 diante do Joinville, em SC. Segundo Felipe, o time melhorou com os reforços que chegaram do FC Cascavel - o lateral-esquerdo Willian Simões, o volante Léo Bartholo e o lateral-direito João Carlos.


"O grupo do Maringá nesse ano tem times com histórico recente interessante, mas acredito que seja um chave superestimada. É difícil avaliar antes do final da terceira rodada, quando todos já se enfrentaram e temos base para dizer quem deve se sair melhor. O interessante do grupo é que todos têm obsessão pelo acesso, pela Série C, não entram para meramente disputar. O primeiro passo é avançar de fase e aí é mata-mata. São campeonatos diferentes a cada fase", disse.


Focando no Futebol Alternativo, com uma linha editorial que aborda clubes, campeonatos, jogadores e afins que não são abarcados pela grande mídia, a Série Z já tem 27 edições. A última delas, o Guia da Série D, você pode conferir na íntegra clicando no LINK.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo