Fechar

Futebol

Em Sumaré

Equipe maringaense de futebol de amputados disputa Copa do Brasil

Publicado por Redação GMC, 15:58 - 16 de Abril de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação

A Copa do Brasil de Futebol de Amputados começa nesta quinta-feira (18) e segue até domingo (21), em Sumaré (SP). A competição contará com 12 equipes, entre elas a equipe da Associação dos Deficientes por Amputação de Maringá (Assama). Os times serão separados em dois grupos com seis equipes, com as melhores equipes avançando para a próxima fase. No ano passado, a equipe maringaense terminou a competição na 8ª colocação.


O goleiro da Assama, Vandeir da Silva, conhecido como "Nenê", explica que a competição é extremante importante.


“São 12 equipes com a qualidade e o nível técnico parecidos, só o Corinthians está um pouco acima dos demais na questão técnica. Reforçamos o elenco em comparação ao ano passado e vamos tentar fazer nosso melhor”, disse.


Aos 21 anos, Vandeir perdeu a mão direita em um acidente de trabalho. Hoje, com 33 anos, o atleta pratica vôlei sentado e o futebol de amputados na Assama, após um amigo indicar a associação. “Pensei que era uma brincadeira, como vou ser goleiro ou jogar vôlei sem uma das mãos”, citou.


Equipes participantes: Adfego (GO), AMDA (MG), Aparecidense (GO), Assama (PR), Bahia (BA), Bola pra Frente (SP), Corinthians (SP), Campo Grande (MS), Faro Rio das Ostras (RJ), Instituto Só Vida (SP), Ponte Preta (SP) e São Paulo F.C (SP).


Futebol de Amputados


Cada equipe tem sete jogadores, com as partidas realizadas no campo de society (grama sintética). Os atletas de linha têm amputação em uma das pernas, e os goleiros, nos braços ou mãos. As partidas são jogadas em dois tempos de 25 minutos, sem limites para substituições.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo